Archive for the ‘Avaliação’ Category

Conteúdos

Objetivos

Cotação

EUA: uma revolução precursora Localizar no espaço e no tempo os principais acontecimentos que conduziram à independência dos EUA.Caracterizar a Constituição Americana de 1787.

14

França: a grande revolução Caracterizar económica, política e socialmente a França nas vésperas da revolução.Descrever os principais acontecimentos da primeira fase da Revolução Francesa.

Descrever as medidas tomadas pela Assembleia Constituinte.

24

Da república a Napoleão Descrever os principais acontecimentos em França entre a Convenção e o Diretório.Explicar a ascensão e queda de Napoleão Bonaparte.

Descrever o legado da Revolução Francesa.

17

Os antecedentes da Revolução Liberal portuguesa Descrever os antecedentes da Revolução Liberal portuguesa.

27

A monarquia constitucional Caracterizar o movimento revolucionário de 1820.Descrever as medidas tomadas pela Cortes Constituintes.

Caracterizar a Constituição Portuguesa de 1822.

Explicar a independência do Brasil.

Explicar as causas da guerra civil e o seu desfecho

18

Exercício 1
Exercício 2
Exercício 3
Exercício 4

Matriz do teste de 30 de abril de 2013

Posted: 26 de Abril de 2013 in Avaliação

Conteúdos

Objetivos

Cotação

A Revolução Científica dos séculos XVII e XVIII Descrever o avanço científico e tecnológico dos séculos XVII e XVIII.
Identificar exemplos do avanço científico e tecnológico dos séculos XVII e XVIII.

17

O Iluminismo na Europa: o Século das Luzes Descrever as principais ideias sociais e políticas dos mais importantes filósofos iluministas.

Identificar os meios de difusão do conhecimento nos séculos XVII e XVIII.

Descrever os obstáculos à difusão das ideias iluministas.

29

A Revolução Agrícola e o Arranque da Revolução Industrial Descrever as transformações na agricultura nos séculos XVII e XVIII.

Explicar o aumento da população no século XVIII.

Explicar as condições da prioridade inglesa na Revolução Industrial

Identificar os principais progressos técnicos que favoreceram o arranque da Revolução Industrial.

Identificar os sectores de arranque da Revolução Industrial.

Descrever as alterações no sistema de produção e na paisagem em consequência da Revolução Industrial.

54

1. a-1, b-4, c-12, d-2, e-14, f-10, g-5, h-13, i-6, j-8, k-11, l-3, m-7, n-9

2. Passarola Voadora   – Máquina a vapor  – Microscópio – Pilha elétrica

3.1

a) Montesquieu

b) Jean-Jacques Rousseau

c) Voltaire

d) Diderot e D’Alembert

e) Luís António Verney

3. 2. Foi criada a primeira enciclopédia, que sintetizava o saber científico e artístico da época e o tornava mais acessível a todos. Também as reuniões nos salões da nobreza e da burguesia, as conversas nos cafés, o trabalho das academias e a proliferação de jornais contribuíram para o progresso das novas ideias.

4. Os estrangeirados eram portugueses que foram estudar para o estrangeiro, onde tomaram contacto com as novas ideias do iluminismo, trazendo-as depois para Portugal.

5. Os novos progressos científicos e as ideias iluministas foram contrariados pela censura movida pela Igreja Católica por meio do Índex (lista de livros proibidos) e da Inquisição. Por outro lado, o ensino revelava-se desajustado, encontrando-se nas mãos dos Jesuítas, que dirigiam os principais colégios e universidades e continuavam a dar as suas aulas alheios aos novos métodos e teorias científicas.

6. Neste sistema, nenhuma parcela ficava em pousio, o que fazia aumentar a produção A terra era enriquecida com plantas fertilizantes, como o trevo, que podia ser usado na alimentação dos animais

7. Enclosures – Vedação das propriedades inglesas com recurso a sebes; Aperfeiçoamento de instrumentos e o recurso à utilização das primeiras máquinas agrícolas; Introdução de novas culturas muito produtivas, como a batata, o milho e a beterraba; Seleção das melhores sementes e dos animais reprodutores mais robustos;  Melhoria dos solos arenosos, com a adição de argila, e a drenagem de pântanos, que permitiram a expansão da área cultivável.

8. 1. A população aumentou no século XVIII devido à diminuição da mortalidade. Esta diminuição na mortalidade ficou a dever-se a melhorias na alimentação, graças au aumento de produção proporcionado pela revolução agrícola, e aos progressos na medicina e na higiene.

8. 2. Condições da prioridade inglesa no arranque da Revolução Industrial:

A existência de portos naturais, rios e canais navegáveis que facilitaram o transporte de produtos e o comércio; Abundância de recursos naturais (ferro e hulha) e de matérias-primas como a lã e o algodão;

Um vasto mercado interno (devido ao aumento da população inglesa) e um mercado externo em expansão (dada a posse de um império colonial e o crescente domínio da Inglaterra sobre os mercados de outros países);

O estabelecimento de um regime parlamentar que atendia aos interesses dos grandes agricultores, comerciantes e industriais;

A disponibilidade de mão de obra que, por falta de trabalho no campo (provocada pela Revolução Agrícola), procurava na cidade melhores condições de vida;

Uma burguesia e uma nobreza com capitais, possuidoras de um espírito empreendedor, voltado para o investimento na indústria, e que já dominavam o poder político através da sua representação no Parlamento.

9. Os sectores de arranque da Revolução Industrial foram o sector têxtil e o sector metalúrgico.

10. As três principais inovações técnicas que tornaram possível a Revolução Industrial foram a máquina a vapor, a máquina de fiação e o tear mecânico

11. A utilização crescente da máquina nos processos produtivos desencadeou profundas transformações no modo de vida das populações. A maquinofactura permitiu reduzir as necessidades de mão-de-obra, do tempo de produção e dos preços dos produtos, possibilitando um aumento da produtividade. Desta maneira, a oficina tradicional, recorrendo ao trabalho manual (manufactura), deixou de ser competitiva e foi sendo substituída pela fábrica. O artesão qualificado, que trabalhava na oficina e executava habitualmente todas as fases de produção de um artigo, foi substituído pelo operário. Trabalhando na fábrica, organizada num sistema de produção em série, assente na divisão do trabalho. As construções fabris com altas chaminés que expeliam fumo negro, proveniente da combustão do carvão, escureciam os céus à volta das cidades. Os desperdícios industriais acumulados, o ruído intenso do trabalho das máquinas, a fuligem e o pó de carvão existentes no ar anunciavam um problema que se mantém até aos nossos dias: a poluição ambiental.

Avaliação dos trabalhos de grupo

Posted: 14 de Março de 2013 in Avaliação

Grupo 1 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; falta legendas nas imagens; faltam alguns acontecimentos importantes: Exemplo: Batalha de Navas de Tolosa em 16 de Julho de 1212; Tratado de Alcanizes em 12 de Setembro de 1297, Criação da Universidade de Coimbra em 1290.

Grupo 2 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; alguns acontecimentos do mesmo ano não estão por ordem cronológica (por exemplo os de 1383). Sugestão: acrescentar o dia e ordenar cronologicamente

Grupo 3 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; Faltam alguns acontecimentos importantes. Exemplos: 1469-75 – O rei D. Afonso V arrenda o comércio africano ao mercador Fernão Gomes. 1482: Construção do Castelo de São Jorge da Mina. 1483: Diogo Cão chega ao Cabo do Lobo, na costa ocidental de África, e descobre a foz do Rio Zaire.

Grupo 4 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; O fundo escolhido para o trabalho não é o melhor (quase não se consegue ler o texto). Faltam alguns acontecimentos importantes. Exemplos: 1517 – Os portugueses chegam a Cantão na China. 1534 – O Brasil é dividido em capitanias por D. João III. 1542 – Chegada dos Portugueses ao Japão. 1580 – Portugal perde a independência para a Espanha.

Grupo 5 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; Duas datas com o mesmo acontecimento: (Morre o Rei D. João IV, D. Luísa de Gusmão assume a regência do reino). Texto com links da wikipédia. Apenas uma imagem. Falta identificação dos autores do trabalho.

Grupo 6 – Satisfaz bastante

Apreciação – Algumas gralhas; Falta a data mais importante do século XIX: 1789 – Revolução Francesa. Faltam outras datas importantes. 1769 – James Watt constrói máquina a vapor. 1773 – Colonos americanos afundam carregamento de chá inglês. Sem imagens.

Grupo 7 – Satisfaz bastante

Apreciação – Excelente apresentação gráfica na parte relativa a Portugal, mas há diferenças entre o estilo de cronologia da História de Portugal e da História Mundial; Faltam algumas datas importantes. Exemplos: 1820 – Revolução Liberal portuguesa. 1822 – Independência do Brasil.

Sugestão para todos os grupos: Corrigir as gralhas (reler o trabalho com atenção) e acrescentar as datas sugeridas, antes de passar à segunda fase do trabalho (barra cronológica digital).

Correção do teste de 5 de março

Posted: 14 de Março de 2013 in Avaliação

1.1. 4 Comércio

1.2. 4 Agricultura

1.3. 5 Técnicas e instrumentos muito rudimentares

1.4. 6 Cereais, vinha e oliveira e progressiva introdução do milho

1.5. 5 B

1.6. 8 Multiplicação de manufaturas, sobretudo as têxteis, às quais concedeu subsídios, isenções fiscais, monopólios de fabrico de certos artigos e facilidades na importação de matérias-primas. Desenvolvimento das companhias de comércio.

1.7. 4 Conde da Ericeira

1.8. 8 Criação de manufaturas nos sectores dos lanifícios, sedas, chapéus, vidro e ferro.

Importação de equipamentos e técnicos estrangeiros com vista a melhorar o processo de produção e a qualidade dos artigos. Concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios de fabrico às manufaturas. Aprovação de leis pragmáticas que proibiam o uso de artigos de luxo, como panos, louças e vidros de origem estrangeira.

1.9. 6 Porque a livre entrada dos lanifícios ingleses em Portugal impediu o desenvolvimento da indústria têxtil em Portugal.

1.10. 6 A descoberta de ouro e diamantes no Brasil, em finais do século XVII, facilitou o pagamento dos produtos importados. As importações cresceram muito, sobretudo de Inglaterra, mas também de França e Itália,regiões mercantilistas interessadas no ouro português.

1.11. 8 A imagem mostra o clero e a nobreza em cima do povo e pretende demonstrar que tanto o clero como a nobreza eram classes privilegiadas, estando isentas de imposto ou pagando pouco impostos, tinha acesso exclusivo aos mais altos cargos e tinha formas de tratamento especial e leis próprias. O Povo praticamente não tinha direitos, a não ser trabalhar, e estava sobrecarregado de obrigações e de impostos para sustentar as classes privilegiadas.

1.12. 6 O regime absolutista, caracterizava-se pela centralização do poder nas mãos do rei. Luís XIV afirmava ter recebido o seu poder de Deus (poder divino), competindo-lhe, como seu representante na terra, governar os homens. A estes cumpria obedecer sem contestar.

Considerava-se o centro da vida nacional, comparando-se ao Sol — daí o epíteto de Rei Sol — fonte de energia, calor e luz.

2.1. 6 Linhas curvas na fachada da igreja, com formas onduladas, introduzindo-se, assim, contraste e movimento na sua estrutura. Irregularidade das formas.

2.2. 6 Decoração exuberante, sobretudo no interior, com pinturas nos tetos e paredes, baixos-relevos, azulejos, mármores e talha dourada.

2.3. 6 Efeito claro/escuro, sendo certas zonas do quadro especialmente iluminadas, em contraste com áreas sombrias, onde se usam cores mais escuras. Linhas curvas e diagonais, que sugerem movimento. Dramatismo e a teatralidade, com figuras retratadas de forma exagerada, manifestando emoções fortes, como a tristeza ou a dor.

2.4. 6 Caravaggio, Rembrandt, Rubens e Velásquez

2.5. 6 Nasoni, autor da Igreja e Torre dos Clérigos no Porto, e Frederico Ludovice, autor do Palácio-Convento de Mafra.

Matriz do teste de 5 de março de 2013

Posted: 26 de Fevereiro de 2013 in Avaliação

 

Conteúdos Objetivos

Cotação

 

I – I – Portugal na Europa do Antigo Regime

Caracterizar a economia europeia do Antigo Regime.

Descrever os objetivos do mercantilismo.

Descrever as medidas mercantilistas adotadas em França e em Portugal.

Explicar o fracasso das medidas mercantilistas em Portugal.

Caracterizar a sociedade europeia do Antigo Regime.

Caracterizar o absolutismo monárquico.

12 questões

70%

II – II – A arte e a mentalidade barrocas Caracterizar a arquitetura barroca.

Caracterizar a pintura barroca.

Identificar os principais mestres da pintura barroca.

Identificar exemplos da arquitetura barroca em Portugal

5 questões

30%

 

Correção do teste

Posted: 15 de Fevereiro de 2013 in Avaliação

Grelha de correção do teste de 5 de fevereiro.

Correção do TPC de 22 de janeiro

Posted: 31 de Janeiro de 2013 in Avaliação

tpc3

Trabalho de grupo

Posted: 29 de Janeiro de 2013 in Avaliação

Trabalho de grupo
Cronologia da História e Barra Cronológica Digital

O trabalho de grupo tem como objetivo a pesquisa, seleção e organização dos acontecimentos mais importantes da história de Portugal e da história mundial, no período correspondente aos conteúdos abordados neste ano letivo. Cada grupo investigará um século e entregará o trabalho em duas fases:

1. Trabalho escrito em word (enviado para o email do professor até 12 de março)

2. Barra cronológica digital online, a realizar com a ferramenta preceden (enviado para o email do professor até 28 de maio)

Cada uma das fases do trabalho será avaliada individualmente.

Metodologia
  • Seleccionar, para cada século, um mínimo de 15 acontecimentos da História de Portugal e 15 da História Mundial, e um máximo de 35 acontecimentos da História de Portugal e 35 da História Mundial.
  • Apresentar o trabalho em Microsoft Word, com a seguinte formatação:

Título: tipo de letra: Calibri, tamanho 16, centrado, cor preta

Cronologia:

História de Portugal: tipo de letra: Calibri, tamanho 12, justificado, cor azul

História do Mundo: tipo de letra: Calibri, tamanho 12, justificado, cor vermelho-escuro

  • Imagens: podem ser usadas imagens, com a respectiva legenda e fonte
  • Caso a data inclua também dia do mês, deverá iniciar-se pelo ano. Exemplo 1640, 1 de Dezembro
  • Deverá usar-se a ortografia do acordo ortográfico de 1990
  • Dimensão máxima do trabalho: 5 páginas
  • Posteriormente, o trabalho será convertido numa barra cronológica digital
  • Data de entrega: 12 de março de 2013
  • Data de conclusão da barra cronológica digital: 28 de maio de 2013
Grupos e temas

Grupos

Tema

Grupo 1: Diogo Morais, Rafael Ruas, Joana Sousa De 1200 a 1299
Grupo 2: Hugo, Pedro Silva, Diogo Graça, Tiago De 1300 a 1399
Grupo 3: Eduardo, Pedro Afonso, André De 1400 a 1499
Grupo 4: Margarida, Catarina Sardo, Bruna, Décia De 1500 a 1599
Grupo 5: Sandra, Telma, Beatriz De 1600 a 1699
Grupo 6: Rafael Quinta, Joana Folgado, Ana Rita, Rita, João De 1700 a 1799
Grupo 7: Bruno, Ricardo, Ana Sofia, Catarina Madeira De 1800 a 1899

Bibliografia para o trabalho de grupo

Na Biblioteca

Matoso, José – História de Portugal, Editorial Estampa, vol. 8, pp. 301 a 336

Saraiva, José Hermano, História de Portugal, pp. 566-590

Na web
História do Mundo

Cronologia da História Universal

http://www.gforum.tv/board/1277/183523/cronologia-da-historia-universal.html

Cronologia da história do mundo

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Cronologia_da_hist%C3%B3ria_do_mundo

Cronologia Mundo

http://www.historiamais.com/mundo.htm

Cronologia histórica

http://historiaonline.com/cronologia

História de Portugal

Cronologia da História de Portugal – Wikipédia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Cronologia_da_hist%C3%B3ria_de_Portugal

Cronologia da História de Portugal

http://portugalmardosmares.blogspot.pt/p/cronologia-da-historia-de-portugal-1481.html