Conteúdos

Objetivos

Cotação

EUA: uma revolução precursora Localizar no espaço e no tempo os principais acontecimentos que conduziram à independência dos EUA.Caracterizar a Constituição Americana de 1787.

14

França: a grande revolução Caracterizar económica, política e socialmente a França nas vésperas da revolução.Descrever os principais acontecimentos da primeira fase da Revolução Francesa.

Descrever as medidas tomadas pela Assembleia Constituinte.

24

Da república a Napoleão Descrever os principais acontecimentos em França entre a Convenção e o Diretório.Explicar a ascensão e queda de Napoleão Bonaparte.

Descrever o legado da Revolução Francesa.

17

Os antecedentes da Revolução Liberal portuguesa Descrever os antecedentes da Revolução Liberal portuguesa.

27

A monarquia constitucional Caracterizar o movimento revolucionário de 1820.Descrever as medidas tomadas pela Cortes Constituintes.

Caracterizar a Constituição Portuguesa de 1822.

Explicar a independência do Brasil.

Explicar as causas da guerra civil e o seu desfecho

18

Exercício 1
Exercício 2
Exercício 3
Exercício 4

Correção do TPC

Posted: 21 de Maio de 2013 in Revoluções liberais, TPC

ficha18

ficha19

Matriz do teste de 30 de abril de 2013

Posted: 26 de Abril de 2013 in Avaliação

Conteúdos

Objetivos

Cotação

A Revolução Científica dos séculos XVII e XVIII Descrever o avanço científico e tecnológico dos séculos XVII e XVIII.
Identificar exemplos do avanço científico e tecnológico dos séculos XVII e XVIII.

17

O Iluminismo na Europa: o Século das Luzes Descrever as principais ideias sociais e políticas dos mais importantes filósofos iluministas.

Identificar os meios de difusão do conhecimento nos séculos XVII e XVIII.

Descrever os obstáculos à difusão das ideias iluministas.

29

A Revolução Agrícola e o Arranque da Revolução Industrial Descrever as transformações na agricultura nos séculos XVII e XVIII.

Explicar o aumento da população no século XVIII.

Explicar as condições da prioridade inglesa na Revolução Industrial

Identificar os principais progressos técnicos que favoreceram o arranque da Revolução Industrial.

Identificar os sectores de arranque da Revolução Industrial.

Descrever as alterações no sistema de produção e na paisagem em consequência da Revolução Industrial.

54

1. a-1, b-4, c-12, d-2, e-14, f-10, g-5, h-13, i-6, j-8, k-11, l-3, m-7, n-9

2. Passarola Voadora   – Máquina a vapor  – Microscópio – Pilha elétrica

3.1

a) Montesquieu

b) Jean-Jacques Rousseau

c) Voltaire

d) Diderot e D’Alembert

e) Luís António Verney

3. 2. Foi criada a primeira enciclopédia, que sintetizava o saber científico e artístico da época e o tornava mais acessível a todos. Também as reuniões nos salões da nobreza e da burguesia, as conversas nos cafés, o trabalho das academias e a proliferação de jornais contribuíram para o progresso das novas ideias.

4. Os estrangeirados eram portugueses que foram estudar para o estrangeiro, onde tomaram contacto com as novas ideias do iluminismo, trazendo-as depois para Portugal.

5. Os novos progressos científicos e as ideias iluministas foram contrariados pela censura movida pela Igreja Católica por meio do Índex (lista de livros proibidos) e da Inquisição. Por outro lado, o ensino revelava-se desajustado, encontrando-se nas mãos dos Jesuítas, que dirigiam os principais colégios e universidades e continuavam a dar as suas aulas alheios aos novos métodos e teorias científicas.

6. Neste sistema, nenhuma parcela ficava em pousio, o que fazia aumentar a produção A terra era enriquecida com plantas fertilizantes, como o trevo, que podia ser usado na alimentação dos animais

7. Enclosures – Vedação das propriedades inglesas com recurso a sebes; Aperfeiçoamento de instrumentos e o recurso à utilização das primeiras máquinas agrícolas; Introdução de novas culturas muito produtivas, como a batata, o milho e a beterraba; Seleção das melhores sementes e dos animais reprodutores mais robustos;  Melhoria dos solos arenosos, com a adição de argila, e a drenagem de pântanos, que permitiram a expansão da área cultivável.

8. 1. A população aumentou no século XVIII devido à diminuição da mortalidade. Esta diminuição na mortalidade ficou a dever-se a melhorias na alimentação, graças au aumento de produção proporcionado pela revolução agrícola, e aos progressos na medicina e na higiene.

8. 2. Condições da prioridade inglesa no arranque da Revolução Industrial:

A existência de portos naturais, rios e canais navegáveis que facilitaram o transporte de produtos e o comércio; Abundância de recursos naturais (ferro e hulha) e de matérias-primas como a lã e o algodão;

Um vasto mercado interno (devido ao aumento da população inglesa) e um mercado externo em expansão (dada a posse de um império colonial e o crescente domínio da Inglaterra sobre os mercados de outros países);

O estabelecimento de um regime parlamentar que atendia aos interesses dos grandes agricultores, comerciantes e industriais;

A disponibilidade de mão de obra que, por falta de trabalho no campo (provocada pela Revolução Agrícola), procurava na cidade melhores condições de vida;

Uma burguesia e uma nobreza com capitais, possuidoras de um espírito empreendedor, voltado para o investimento na indústria, e que já dominavam o poder político através da sua representação no Parlamento.

9. Os sectores de arranque da Revolução Industrial foram o sector têxtil e o sector metalúrgico.

10. As três principais inovações técnicas que tornaram possível a Revolução Industrial foram a máquina a vapor, a máquina de fiação e o tear mecânico

11. A utilização crescente da máquina nos processos produtivos desencadeou profundas transformações no modo de vida das populações. A maquinofactura permitiu reduzir as necessidades de mão-de-obra, do tempo de produção e dos preços dos produtos, possibilitando um aumento da produtividade. Desta maneira, a oficina tradicional, recorrendo ao trabalho manual (manufactura), deixou de ser competitiva e foi sendo substituída pela fábrica. O artesão qualificado, que trabalhava na oficina e executava habitualmente todas as fases de produção de um artigo, foi substituído pelo operário. Trabalhando na fábrica, organizada num sistema de produção em série, assente na divisão do trabalho. As construções fabris com altas chaminés que expeliam fumo negro, proveniente da combustão do carvão, escureciam os céus à volta das cidades. Os desperdícios industriais acumulados, o ruído intenso do trabalho das máquinas, a fuligem e o pó de carvão existentes no ar anunciavam um problema que se mantém até aos nossos dias: a poluição ambiental.